segunda-feira, 21 de abril de 2008

Suspeições

O ex-Vice Primeiro-Ministro Britânico, John Prescott, confessou várias coisas, relacionadas com a fortíssima bulimia de que sofreu, enquanto no cargo: como caíra nela por não gostar de álcool, a vergonha que sentira em sofrer de uma desordem física predominantemente feminina e como a Mulher o salvara, obrigando-o a tratar-se, com auxílio médico.
Para além de se apreciar a cândida sinceridade da memória, quero deixar três breves reflexões:
1- Será a fraqueza em questão tão tipicamente feminina? O «Dicionário Prático Ilustrado» da Lello dá-a como sinonímica da fome canina, que era expressão muito mais empregue por lábios masculinos para descrever estados próprios. Estou em crer que a apropriação pelo Belo Sexo é apenas uma consequência de maior vulnerabilidade à erosão do trabalho e da rotina, pois, noutros tempos, a esmagadora maioria das Senhoras, nas classes mais favorecidas, não trabalhava.
2- Conhecendo-se as origens sociais do político em questão, está cabalmente desmentido o preconceito que considera estivadores, marinhagem e operários navais "um monte de bebedolas".
3- Dado que grande parte da falta de controlo alimentar referida se canalizou para os produtos da McDonalds, vista a publicidade da imagem, talvez a intervenção da Cara-Metade desta figura pública tivesse sido muito menos altruísta do que a da versão relatada...

8 comentários:

Rudolfo Moreira disse...

S. A fama arruaceira do comilão garante pelo menos uma coisa. Muito molho

fugidia disse...

(Que maldade, caro Réprobo;
a Senhora a ajudar o senhor seu marido com dedicação e V. a pensar que o fez pela publicidade. Tsss, tsss, tsss...) :-)

Importante, contudo, é ele ter dado a cara por esta doença.

O Réprobo disse...

Meu Caro Rudolfo Moreira,
arruaceira não diria, justiceira, sim. E não esqueçamos que ele foi um desportista, no pugilismo, precisamente, pelo que molhar o bico não obrigaria a excessos incontroláveis.
Abraço

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
pela publicidade?!!! Onde é que esta mão em luta pela libertação do cérebro opressor escreveu tal coisa?
Eu queria dizer mais "para evitar concorrências"...
Beijinho

fugidia disse...

Pela publicidade da menina dentro do hambúger... (vide "a publicidade da imagem")

Mas a oportuna correção supra fica melhor, sem dúvida...
:-p

O Réprobo disse...

Sim, penso que a mensagem é suficientemente forte para decidir uma esposa vigilante sem detença no meio que a veicula...
Beijinho

Pedro Melo Correia disse...

Eu diria que a gordura numa Senhora, embora feita de pétalas, se nota mais, por isso a atribuição de nome tão antagonista às consequências de uma série de pecadilhos. No homem uma gordura relativamente exagerada, apesar dos tempos metrosexuais e gimnohalteristas que atravessamos, passa mais ou menos desapercebida, ou pelo menos tem compaixão garantida. Mas a verdade é que a Gula ataca mais os homens-

Porque a balança das Senhoras tem os níveis de tolerância mais aguçados. E dá choque. é só por isso que se ergueu essa palavra, bulimia, como própria do belo sexo.

JPrescott (Labour) vivia no tempo dos primeiros manequins CK, e na descendência mental da Twiggy, que deram ao estilo ossudo des nouvelles lettres de noblesse. (Rubens ao fundo e à direita arripiado). Por isso os arripios do mesmo JP. Mais tarde viria Blair, quase perfeito, em termos da relação lípido/imagem. Devia ser uma paranóia Labour específica. os Tories, que tinham tido a Lua cheia, W, Churchill (redondo de cara e redondo de corpo) tinham outros avatares.

Viria mais tarde Botero adoçar o panorama... e de L'Espinasse de La Tour que disse "mais ó Vous les grosses, ne Vous en faites pas, Vous avez la beauté des collines et la rondeur des fleurs intrépides..."

Não deixa de ser telúrico e de perdoar ao apetite o que o cinto desaprova.

O Réprobo disse...

Diz muito bem o Pedro Melo Correia.
Sobre as relações entre gordura e Poder, lembra a quadra cantarolada por Nicolau Breyner
"O Mundo é dos gordos
O Mundo é dos nossos
A carne é quem manda
E o resto... são ossos"?