sábado, 5 de abril de 2008

Desgosto

Perdoarão os meus Leitores que hoje não poste mais, mas encontrei o meu querido Gold, o qual estaria prestes a fazer nove anos, morto, na varanda, a dois metros do local onde nasceu.

42 comentários:

Bic Laranja disse...

Lamento a sorte do pobre Gold, caro amigo. Um abraço!

av disse...

Um beijinho especial, Paulo. Sei como custa, é quase como perder alguém da família.

filomeno2006 disse...

¡Vaya, una pena!
Ab.

cristina ribeiro disse...

Oh, Paulo, como lamento...
Afeiçoamo-nos a eles, tanto quanto eles a nós.
Beijo

Rosarinho disse...

Um beijinho.

Nuno Castelo-Branco disse...

Mas o que aconteceu ao bicho? Estava doente ou fizeram-lhe mal? Se tinha uma relação tão próxima como aquela que eu tenho com os meus três gatos, imagino como andará por uns dias.

Júlia Moura Lopes disse...

Querido Paulo...como lamento...

beijinho meu

fugidia disse...

Um beijinho, querido Réprobo.

Anónimo disse...

Perdi o meu cão branco de estimação tb há pouco tempo.
Não sendo apreciadora de gatos, entendo o vazio que estará sentido.

Cumprimentos
Para alem do Horizonte

Anamaria.

Anónimo disse...

Coitadinho do gatinho, mas que pena. Olhe Paulo, se puder arranje ràpidamente outro gatinho para o substituir. O dono nunca esquece o que morreu, mas um novo elemento ameniza grandemente a perda.

Maria

RAA disse...

Que pena, meu caro... Um abraço.

Luísa disse...

Meu caro Réprobo, pela companhia que nos fazem, leal, terna e descomplicada, merecem toda a nossa afeição... e a saudade.

Euro-Ultramarino disse...

Meu Caro Amigo,
Sinto muitíssimo. Já perdi bichos de estimação que eram verdadeiros companheiros - puros, fiéis. Vão com eles um pedaço de nós... Receba um abraço apertado.

O Réprobo disse...

Mei Caro Bic,
muito obrigado, era um cora�o que n�o desmerecia o nome.
Abra�o

O Réprobo disse...

Este era um caso especial, Queerida Ana,
foi logo o meu eleito da ninhada de quatro a que pertencia, apegou-se muito a mim, levou uma vida de vadiagem com ausências que chegaram a onze dias, mas foi ficando, enquanto outros mais novos e menos temerários iam desaparecendo.
Agora que parecia reformado, passando a vida aqui por casa, sucede isto...
Beijinho grato

O Réprobo disse...

Gracias, Caro Filomeno. Coloquei esta foto dele em cima da secretária, onde já estava a do outro gato de que mais gostei.
Abraço

O Réprobo disse...

Querida Cristina, é bem verdade. Este, apesar de não procurar sempre o meu colo, como fazem as gatas, quando estava indisposto ou me sentia triste vinha dar as turrinhas revigorantes.
Beijo

O Réprobo disse...

Outro, Rosarinho. Obrigadíssimo pela solidariedade.

O Réprobo disse...

Meu Caro Nuno, nunca vou esquecê-lo.
Doente? Nada, ainda na véspera, à noite, quando lhe fui dar os habituais biscoitos e "perguntar" se queria ficar fora ou dentro, estava cheio de vida, comeu os dele e ainda quis roubar os de uma das gatas...
Não tinha qualquer ferida, ou sinal de pancada. Talvez um ataque cardíaco, por causa do calor grande de Sexta... mas tinha água ao lado, deveria ter minorado os efeitos.
A única coisa estranha era uma grande bola de pelo dele, ao lado do corpo. Li em qualquer sítio que, ao engolirem-nas, podem asfixiar. Mas custa-me a crer que um gato tão experiente...
Abraço

O Réprobo disse...

Querida Maria,
ainda tenho as duas gatitas, uma das quais dorme comigo. Se arranjasse outro, nunca seria o mesmo, como disse este era um caso especial.
Beijinho grato

O Réprobo disse...

Obrigado, Compadre RAA,
bem sei como conheces o desgosto de perder bichos queridos.
Abraço

O Réprobo disse...

Querida Júlia,
Obrigado pela manifestação de pesar. O que aumentou a dor foi o inesperado... Agora que ele parecia mais calmo, esperava que vivesse uns 17 ou 18 anos, como gatos de familiares meus conseguiram.
Beijinho

O Réprobo disse...

Querida Fugidia,
obrigado, são os carinhos dos Amigos o melhor remédio para ganhar ânimo.
Beijinho

O Réprobo disse...

Ana Maria,
a perda de uma mascote querida faz-nos entender a pena dos outros.
Obrigado

O Réprobo disse...

Querida Luísa,
umas garantiu ele, em vida. Do resto creio-me capaz de tratar eu. Estou convicto de que nunca me sairá da recordação.
Beijinho grato.

O Réprobo disse...

Meu Caro Euro-Ultramarino,
é bem verdade, descontando ontem em que ainda o tive nas mãos, ao enterá-lo, é hoje o Uia Sem Gold. Claro que me marcará.
Grande abraço!

Carlos Portugal disse...

Caríssimo Amigo: a perda de um ser querido é sempre muito penosa, mesmo sendo um animalzinho de estimação. É um companheiro, uma alminha que ali está e que é nossa Amiga. Mais do que muitos seres humanos. Resta-nos a recordação da sua companhia. Mas dói. E muito.

Um grande abraço sentido.

O Réprobo disse...

Meu Caro Carlos Portugal,
se dói! Obrigadíssimo pela Simpatia, Muito Caro Amigo.
Abraço

Meg (sub Rosa) disse...

Meu querido Amigo
Por favor tenha-me - embora com involuntário atraso - a Amiga compreensiva que pode palidamente imaginar como se sente.
Tenho ainda triste lembrança de 3, três, não menos que isso - fatos semelhantes.
Tenha meu respeito e solidária e afetiva proximidade.
Conte comigo, sendo o caso.
Um beijo
Meg

O Réprobo disse...

Querida Meg,
tenho visto morrer ou desaparecer muitos gatinhos, masm como já disse acima, este encontrava-se num plano diferente.
Muito obrigado pelo Conforto Amigo
Beijo

filomeno2006 disse...

"Gold", más fulvo de cachorrito........

MySelf disse...

Li agora... querido amigo, acredito que deves de estar muito triste... Um grande, grande beijinho

O Réprobo disse...

Meu Caro Filomeno,
Rubio, dirias... e também corria como uma seta!
Abraço

O Réprobo disse...

Querida MySelf,
Nem Tu imaginas quanto! E, pior ainda, o desgosto da minha Mãe foi tão grande que Ela está a recusar o comer, obrigando-me a medidas drásticas. Tem sido uma luta!
Beijinho

Meg (sub Rosa) disse...

Desculpe, querido Réprobo.
Há que ser feita uma correção:
Quando disse que o compreendia, e mencionei três, quis dizer isso mesmo: três que para mim estavam em plano diferente, especialíssimo.
Não falei do ponto de vista numérico, querido, em absoluto, não falei.
Só para dizer de um: falei exatamente por meu Horácio, meu lindo gatinho, inesquecível, que me fez questionar o porquê da desigualdade entre o destino dos animais, se eles tinham tinham alma, e o que teriam feito para sofrer - era moda por cá o kardecismo- e eu perguntei-me se animais teriam karma- o Horácio que transformou-me em Mãe: a notícia dada pelo veterinário foi antecedida de de algumas semanas sem dormir dia ou noite, sem exagero.
Nunca duvide, querido Réprobo quando eu disser que compreendo e imagino ainda que palidamente o que outro ser humano sente. Mesmo que raxões semelhantes nos tenham feito sofrer, o que o Outro sente é sempre uma algo que só imagino tendo em vista o meu sentimento.
Já não falava Descartes em um solipsismo?
Não seria leviana em termos de animais. Acredite meu querido Amigo, eles são quase uma "raison de vivre" para mim.
Isso de um modo geral. Os que modificaram minha vida então...
Esteja certo: imagino seu sofreimento. Solidarizo-me com ele. E percebo exatamente o plano especialíssimo em que estava e/ou permanecerá o seu amado Gold.
O Réprobo não pode imaginar o quanto estive a olhar a fotografia dele. Um lindo, um sedutor. Um qu'rido!
beijinhos muito amigos
Meg

filomeno2006 disse...

Amigo Réprobo: cuando tengas un nuevo gatito rubio, le debías poner por nombre "Seta Loira"...........
Ab.

O Réprobo disse...

Queruda, Querida Meg,
avalio perfeitamente a estima que eles Lhe inspiram. Horácio! Que belo nome para um bichano! Este era de uma ninhada duma gata que apareceu cá no jardim, em que todos eram diferentes. Três bonitões, ele, o Paco, cinzento riscado e a Dica, um tigrinho em miniatura. A outra, debruçávamo-nos muito para ela, por a acharmos muito menos linda do que os manos. Viemos depois a saber que era de um tipo apreciadíssimo, tartaruga inglesa.
Este gato, ao contrário dos outros e de muitos mais que por cá passaram era, quando novo, um vadio. Muita vez andei a bater os quarteirões mais próximos, à procura dele. Chegou a fazer ausências de 8 e 11 dias!
Agora que estava caseiro, morre sem explicação, na varanda!
Estou muito em baixo, Querida Amiga, obrigadíssimo por tudo.
Beijinho

O Réprobo disse...

Meu Caro Filomeno,
considero Seta um belo nome!
Abraço

Inês Ramos disse...

Lamento muito. Um abraço solidário.

O Réprobo disse...

Querida Inês,
é uma força que me diz muito, quer pela Amiga que ma dá, quer pelo Tema presente num dos Blogues que anima.
Beijinho grato

zazie disse...

Coitadinho. Era tão bonito.

beijinhos, Paulo

O Réprobo disse...

Obrigado, Querida Zazie. A Minha Mãe e eu tínhamos muito orgulho na beleza dele. Mas era muito bonzinho, também.
Beijinho